Últimas Notícias


Missão junto aos refugiados
Junto ao interesse de viver a missão no continente africano, eu desejava muito ser presença junto àqueles que vivem em um campo de refugiados. Com a minha vinda para Angola, as duas coisas tornaram-se possíveis. Assim, no mês de maio, atendendo ao apelo lançado no encontro dos missionários em Luanda, ofereci-me para trabalhar no campo dos refugiados que entraram em Angola, fugindo da guerra étnica que ocorre em determinadas regiões da República Democrática do Congo. Esses nossos irmãos estão no estado de Luanda Norte, na cidade de Dundo, e, pelas estatísticas atuais, somam 30 mil, sendo que todos os dias chegam outros mais.
 
Somente estando no meio deles para entender o que passam os refugiados. Um sofrimento sem fim. É difícil encontrar uma família que não tenha sofrido a perda de alguém: pais e mães que perderam seus filhos; filhos que perderam seus pais; mulheres que perderam o marido e vice-versa. A realidade dramática de pessoas que vivem em estado de fome crônica. Os bebês que perderam as mães são alimentados com chá na mamadeira e, assim, são muitas as crianças desnutridas. 
 
As pessoas não têm mudas de roupa para trocar, não têm documentos, não têm nada e dependem de tudo, porque fugiram de suas casas deixando tudo para trás. Muitas delas trazem no corpo as marcas das violências sofridas. Se um dia elas retornarem a seu país, não encontrarão nada do que deixaram, pois os rebeldes incendiaram as casas e as cidades.
 
Alguns organismos não governamentais estão presentes para assistir os refugiados, mas, na verdade, não se pode fazer tudo, pois as necessidades são muitas e, por um mistério da graça, o ciclo da vida continua. Todos os dias nascem e morrem pessoas.
 
A rotina do trabalho é dura e exigente, e um pouco que trabalhamos parece um tempo por demais longo. Além de oferecer o serviço e o apoio aos refugiados, é preciso saber trabalhar o nosso interior e saber se diferenciar. Participar do seu sofrimento, sem, contudo, identificar-se com o mesmo. Isso é uma tarefa que nos desgasta. 
 
Agora, após um mês de trabalho, volto a Luanda para retornar minhas atividades. Sou muito grata por esta oportunidade de fazer presente o Carisma de nossa Congregação junto a esses nossos irmãos desfavorecidos. “Servir a Deus, aos pobres e enfermos”, o desejo de nossa Madre Fundadora implanta-se neste Continente, berço da humanidade. 
 
Irmã Mellina Clemente Botelho

Celebração de Bodas
Por iniciativa das Irmãs da Comunidade Santa Teresinha, aconteceu um dia de confraternização e de ação de graças pelos 50 anos de VRC da Irmã Vâner de Alvarenga Duarte, como Carmelita da Divina Providência na Família de Madre Maria das Neves.
Das seis Irmãs companheiras de noviciado, estava presente a Irmã Marlene Frinhani.
Tudo aconteceu na Gratuidade de Deus, que motivou tantas pessoas a celebrar este dia na alegria e na gratidão.
 
Mexer na família da Ir. Vâner é mexer no formigueiro!  Estavam presentes 73 pessoas, vindas de Santa Maria, Itabira, Timóteo, Ipatinga, Belo Horizonte e da Bahia, que uniram forças e as somaram à da comunidade, principalmente da criatividade da Ir. Solange e abertura e acolhimento de todas as Irmãs.
 
A simplicidade e a fraternidade das Irmãs CDP, na pessoa da Irmã Imaculada Resende e das demais Irmãs aqui presentes, foram notáveis. Não poderia deixar de lembrar a presença amiga do Padre João Czuak e da Érika, companheiros de Missão em Santo Antônio do Jacinto. Também, a comunidade de Nossa Senhora de Lourdes e tantas outras pessoas da Paróquia, deram sua presença e serviço para que tudo acontecesse.
Todos diziam: A festa ficou linda! Realmente, foi tudo muito bonito!
 
“Que poderei retribuir ao Senhor, por tudo que Ele me tem dado?” A Deus, minha Eterna ação de graças. A todos - Irmãs, família, amigos e amigas, meu muito obrigada pela oportunidade de dizer:
Vale a pena ser CDP no seguimento de Jesus Cristo.
 
Irmã Vâner Alvarenga

NÃO TENHO UM CAMINHO NOVO. O QUE EU TENHO DE NOVO É O JEITO DE CAMINHAR.

Esta frase de Thiago de Mello é a resposta mais verdadeira que podemos dar quando interrogadas sobre a nossa Missão aqui, ali ou acolá...
Há muita poesia no “partir para a Missão” no “sair de si para ir ao outro” e em tantas outra concepções que se fazem a respeito da vida missionária.      
Haja visto que, “ao partir” a gente se leva com toda a bagagem pessoal e que, as vezes pesa mais do que as estruturas das Instituições que são hoje as grandes vilãs da Vida Religiosa Consagrada.        
Com os muitos anos de vida inserida no meio do povo a gente se dá conta de que o mais importante na Missão é a doação diária aos mais necessitados, é a maturidade nos relacionamentos comunitários, pastorais, eclesiais; é o “gastar a vida” construindo pontes  e alicerçando a construção do Reino de justiça e de misericórdia segundo o coração de Deus!        
O único importante é ser discípula e missionária seguindo o modelo que o Pai nos deu: seu Filho Jesus!        
Tudo o mais são meios e recursos que rondam o essencial: as muitas Celebrações que fazemos nas nossas comunidades de periferia e na zona rural, o acompanhamento de grupos e pastorais principalmente a Catequese, a Infância e Adolescência Missionária, a Pastoral Familiar, a parceria na formação litúrgica, a atenção especial ás pessoas idosas e enfermas, a participação na CRB e tantas outras atividades que nos envolvem. . .      
Na verdade tudo que acontece aqui acontece em qualquer grupo que se coloque a caminho no serviço à Igreja!   
NOVO é o jeito de caminhar!  
E este “jeito novo” é mistério! É ir crescendo na simplicidade e na humidade de “desaparecer” para que Ele cresça em nós... nos outros. 
Novo é a busca constante da fidelidade ao projeto de Deus revelado no dia a dia de nossa convivência na oração e na fraternidade, e que se concretiza no alegre e incondicional serviço aos irmãos como Carmelitas da Divina Providência!
Não temos um caminho novo! Novo é o jeito de caminhar!

Ir.Neuza Paiva

 

 


NOSSA MÃE SANTÍSSIMA DO CARMO EM MANAUS/AM

Aos poucos vamos descobrindo que a devoção a Nossa Senhora do Carmo é bem forte aqui, ali e acolá nesta imensa Manaus com suas desafiadoras periferias. Basta dizer que a Catedral no centro da cidade foi construída pelos Carmelitas pelos anos de 1695.      
Naquele tempo muitas sementes caíram em terra boa...           
Hoje a Virgem Maria com o título de Mãe do Carmelo é venerada em Paróquias e várias comunidades espalhadas pela vasta Região Amazônica.            

Em 2016, recém-chegadas em nossa Área Missionária, fomos viver a nossa festa de 16 de julho numa Paroquia Nossa Senhora do Carmo mais no centro da cidade onde fomos acolhidas com muita alegria. Até hoje fortes laços fraternos nos unem! E nos reúnem quando possível!               
Mas no dia seguinte, sendo domingo, tivemos outra Missa festiva em nossa própria Área. E a surpresa do afeto de nossas comunidades. Caricias de Deus aos nossos corações ainda temerosos com o NOVO!   
Neste ano 2017, já mais inseridas nesta Área, tivemos a alegria de rezar com o povo a Novena preparatória em nossa própria casa e os três últimos dias na Igreja da Comunidade Cristo Rei, mais próxima de nós.  
Foram nove dias de muita espiritualidade e convivência, além da COMUNHÃO com toda a Congregação rezando a Novena preparada por nossa Irmã Marlene Frinhani e disponibilizada pelo Governo Geral.
Aliás, o Carmelo do mundo inteiro se uniu na grande e tradicional homenagem a Nossa Senhora do Carmo. Foi o que vimos e contemplamos nos noticiários da TV e nas Redes Sociais!       
A Missa do dia 16 foi uma linda manifestação de fé e de devoção a Maria com a presença de pessoas vindas de todas as Comunidades da Área Missionária e outros amigos; e concelebrada por nossos dois sacerdotes Padres Teodoro Baquedano e Erlin Perez.    
A entrada solene da Imagem de Nossa Senhora com o canto “O vinde Cristãos louvar a Maria” foi, sem dúvida, um momento emocionante de homenagem filial à Mãe de Deus - uma “mensagem” carinhosa no nosso coração carmelita!!!               
No ofertório nós Irmãs: Carmen, Geralda e Neuza renovamos o compromisso de nossos votos. E para nossa surpresa um lindo e enorme bolo com a estampa da Virgem do Carmo foi oferecido pelas comunidades que, no final da Missa, se confraternizaram nesta linda festa de Nossa Mãe Santíssima.

Damos graças a Deus, à nossa Congregação e ao povo, por nos permitirem viver tão linda experiência nesta nova terra de Missão Carmelitana.           
Na fé e na esperança continuamos pronunciando nosso SIM MISSIONÁRIO!

 

Irmã Neuza Paiva

 

Veja Mais

Lugares da nossa missão

Goiás

- Goiânia

Amazonas

- Manaus

Pará

- Itaituba

Equador

- Puyo

Pernambuco

- Ibimirim

- Petrolina

- Olinda

- Sapucarana

Espírito Santo

- Anchieta

Haiti

- Porto Príncipe

Canadá

- Montreal

Angola

- Luanda

Ceará

- Caririaçu

Rio de Janeiro

- Angra dos Reis

- Rio de Janeiro

- Teresópolis

- Saquarema

Eventos

  • 04/08/2017

    Encontro Vocacional - 04 e 05 de agosto de 2017 - Cataguases
  • 21/08/2017

    Curso de Aprofundamento das Constituições - Petrolina / PE - 21 e 22 de agosto
  • 10/09/2017

    Retiro de Bodas – Seminário da Floresta - 10 a 17 de setembro

Animação Vocacional

Veja Mais


Rua Caraça, 648 / Serra / Belo Horizonte - MG / CEP: 30220-260
E-mail: secretgeral@carmelitasdiviprov.com.br
Telefone: (31) 3225-4758

Irmãs Carmelitas
Da Divína Providência